Daniella Pelosini – a produtora

Ela tinha apenas oito anos quando colocou os pés pela primeira vez na propriedade que antes, não passava de um vasto terreno com alguns pés de café abandonados. Sua história de amor com esse pedacinho de chão começou assim, com um sorriso tímido.

Destemida escudeira de seu pai, Laerte Pelosini Filho, participou de todos os processos de construção daquele que ela chamaria de lar anos mais tarde.

 

 

Enquanto criança, contava dias e horas na cidade até chegar finalmente o fim de semana para ficar no mato. Lá, cresceu com o pé na lama, vendo os ciclos de milho, soja, aveia, girassol e tantas outras culturas que já passaram por essas terras. Passava o tempo vendo pôr do sol, livre no campo e cuidando dos bichinhos que ali viviam. Sua paixão por cavalos e sua dedicação ao hipismo oficializou seu caso de amor com esse pedaço de Pardinho. Ainda novinha, decretava: “Um dia, eu vou morar aqui”.

Cursou Economia, viajou o mundo, mas seu destino estava traçado. Anos mais tarde, assumiu as responsabilidades que antes eram administradas apenas pelo pai e pelo avô. Dentre tantas tarefas, produção de leite e criação de gado leiteiro era o foco daquele tempo. Depois de algumas reviravoltas, Sr. Laerte decidiu que a bola da vez seria o café. “E foi assim que o café me escolheu. Ainda bem!”, sorri nostalgicamente.

De lá pra cá, foi bicampeã do Prêmio Ernesto Illy de Qualidade do Café Para “Espresso” do Estado de São Paulo nos anos de 2016 e 2017. Ganhou outros concursos estaduais e locais nas categorias: natural e cereja descascado.

Mais que seu cantinho, esse é o pedaço de sua história, de seus sonhos, de seu trabalho, dedicação, de muitas idas e vindas. Esse é o cantinho da Daniella, esse é o Sítio Daniella.